Comemorando Título

CONFUSÃO EM CAMPO DE FUTEBOL DEIXA DOIS FERIDOS E SETE PESSOAS PRESAS

Som alto e vendas de drogas seria o motivo da presença da polícia no local

02/12/2019 06:48:31
Reprodução

   Policiais Militares foram acionados para comparecerem até o mini estádio do bairro Jardim Independência em Cuiabá. No local estava acontecendo um encontro de amigos que comemoravam um titulo de futebol amador.

   O fato aconteceu na noite de sábado (30), uma cofusão envolvendo a polícia militar e alguns moradores da região, acabou com a detenção de algumas pessoas. Segundo informações da policia cerca de 100 pessoas estariam na festa.

   Na confusão sete pessoas foram presas sendo cinco da mesma família. Informações que constam em boletim de ocorrência, os policiais foram até o mini estádio porque haviam recebidos informações que no local estava sedo comercializado drogas e o som estava atrapalhando o sossego dos vizinhos que fizeram a denuncia.

   Os policiais disseram que foram recebidos com pedradas, gritos de 'vão embora' e xingamentos como 'policiais de merda'. Já a versão dos moradores é que os militares chegaram atirando e agindo com violência.

   Uma mulher foi presa identificada como Dayane Gomes, ela teria agredido os policiais, porque um de seus irmãos teria sido atingido por disparo de arma de fogo vindo dos policiais, seu primo teria sido atingido com bala de borracha durante a abordagem. 

   Ela disse ainda que foram ameaçados de morte pelos policiais. “Estávamos em família e tinha muitas crianças no local. Eles atiraram no meu irmão, que sangrou muito. Eu e minha mãe ficamos desesperadas e pedimos para que não atirassem mais. Eles prenderam meu irmão e eu disse que iria junto e eles me jogaram no chão”, contou.

   Além de Dayane, os dois irmãos dela, Daniel Gomes e Kleiton Gomes, a mãe, Geraldina Gomes, um vizinho da família e outro suspeito não identificado foram detidos. Eles foram ouvidos na delegacia e liberados, em seguida.

   Segundo Dayane, Daniel passou por cirurgia e está internado no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). Ela afirmou que registrará um boletim de ocorrência contra os policiais.

   A Polícia Militar informou que a Corregedoria da PM abrirá uma sindicância disciplinar para apurar os fatos assim que a denúncia for formalizada. Os policiais disseram que Everton Gomes e Daniel Gomes, primo e irmão de Dayane, respectivamente, tentaram impedi-los de realizarem a abordagem e os agrediram com chutes e socos.

   Policiais afirmaram no boletim que usaram “força moderada e progressiva, com uso de disparos de munição não letal” para conter os suspeitos. Em seguida, eles teriam fugido.

   Ainda segundo o boletim de ocorrência da PM, Dayane teria tentado impedir que a família fosse presa e bateu no rosto dos policiais. Eles disseram que foi dada voz de prisão e ela resistiu. “Foi usado com ela força física e moderada além do espargidor de pimenta para detê-la”, diz trecho do boletim.

   A jovem nega as agressões. “Não teve agressão da nossa parte. Eu estava caída no chão e eles jogaram spray de pimenta no meu rosto. O óculo de um dos policiais caiu e, nesse momento, ele disse que eu bati no rosto dele, mas isso não aconteceu”, ressaltou.

   Ainda segundo o boletim, a mãe de Dayane, Geraldina Gomes, também teria ofendido os militares e acabou sendo presa. Ela desmaiou durante a confusão e foi encaminhada para atendimento médico. Depois disso, foi levada à delegacia para prestar esclarecimentos.

   Dayane afirmou que se sentiu humilhada durante a abordagem policial. “Não esperávamos por isso. Não somos bandidos para nos humilharem assim. Eles me trataram como bandida”, disse.


Redação
Fonte: G1



Outras Notícias Relacionadas