Operação Cerrado

SUSPEITOS DE APLICAREM GOLPES PELA INTERNET FORAM PRESOS EM CUIABÁ

Eles eram de São Paulo e segundo a polícia a dupla pertence ao Comando Vermelho

05/12/2019 07:44:44
Reprodução

   Policiais do Estado de São Paulo prenderam em Cuiabá dois elementos que praticaram golpes pela internet naquele estado, que movimentou cerca de duzentos mil reais em poucos dias. A prisão aconteceu na manhã de quarta feira (04).

   A prisão aconteceu em dois bairros de Cuiabá numa ação conjunta entre a Polícia Civil do Estado de São Paulo e equipes de policiais civis da GEPOL (Gerência Estadual de Polinter e Capturas) de Mato Grosso. A prisão faz parte da ação da “Operação Cerrado” deflagrada pela Delegacia de Polícia de Pirapozinho, em São Paulo.

   Foi realizado o cumprimento de três mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão em Cuiabá. As diligências realizadas nos bairros Florianópolis e Jardim Vitória onde a dupla foi presa.

   Os suspeitos foram identificados como Paulo Anderson Gonçalves Bassanessi e Sidinei Ferreira da Fonseca. De acordo com o delegado paulista, Rafael Guerreiro Galvão, que acompanhou as diligências, os autores dessa modalidade de crime fazem parte da organização criminosa Comando Vermelho.

   No histórico de golpes, pelo menos 18 pessoas caíram nos crime da quadrilha realizados na região de Regente Feijó, Andradina, Presidente Prudente, Pirapozinho. Os integrantes do grupo chegaram a movimentar mais de R$ 200 mil somente nas últimas semanas.

   Paulo Anderson, de 27 anos de idade, foi preso pela equipe da Polinter e policiais paulistas trabalhando como estoquista numa das maiores redes de supermercado do País, sendo encaminhado para a sede da Delegacia de Polinter e Capturas de Cuiabá. As ordens judiciais foram deferidas pela 1ª Vara da Comarca de Pirapozinho (SP) e expedidas no interesse da “Operação Cerrado” realizada nos dois estados que tinha como finalidade precípua a prisão de pessoas envolvidas que faziam parte de uma organização criminosa voltada à prática de golpes praticados pela Internet, principalmente por meio de sites de compra e venda de produtos e veículos.

   Nos autos de investigação instaurados pela polícia, foram coletados indícios suficientes de autoria e materialidade dos crimes praticados dando conta de que os investigados se associaram para praticarem os variados crimes de estelionato por meio de fraude na aquisição dos produtos.

 


Redação
Fonte: Folhamax



Outras Notícias Relacionadas